Bonjour e Ballet Clássico ;)


Vim falar da minha louca iniciativa em realizar um sonho de criaça.. fazer ballet.. eu vou começar as aulas essa semana se Deus quiser.. comprei minha sapatilha semana passada.. dai vim   fazer um post sobre o assunto.. bjss.. boa leitura!

Obs: a tal da ponta.. um sonho né.. mas não vou sair fazendo ponta assim enlouquecida.. kkkkkk.. vou praticar por hobby mesmo.. e esperar a hora certa!

Sete motivos para escolher o balé como o seu exercício físico

Dança corrige a postura, previne dores nas costas e define os músculossete-motivos-para-escolher-o-bale-como-o-seu-exercicio-fisico


Difícil arranjar um exercício mais completo do que a natação - o exercício trabalha os músculos do corpo todo, exige melhora da respiração e estimula o condicionamento cardiovascular. Mas um estudo da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, conseguiu encontrar uma atividade ainda mais eficiente: o bale clássico. A equipe de pesquisadores comparou o desempenho de membros da famosa academia Royal Ballet com o de nadadores da seleção olímpica britânica. Os bailarinos apresentaram melhores resultados em sete de dez medidas de condicionamento físico analisadas, como equilíbrio psicológico, flexibilidade e equilíbrio corporal. 

"A técnica é indicada tanto para crianças como para adultos por ser uma atividade física que trabalha todo o corpo, como poucas modalidades esportivas fazem", afirma o ortopedista Marcelo Cavalheiro, da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. Conheça os benefícios que você pode esperar ao eleger o balé como a sua opção de exercício físico. 

Respiração de atleta

Dançar uma música clássica é calmo para quem assiste, mas quem dança escorre suor e precisa de um fôlego danado para terminar uma coreografia cheia de saltos, piruetas e outros passos difíceis. Por isso, faz parte das aulas aprender a respirar aproveitando o máximo possível da capacidade do diafragma: coloque a mão um pouco acima da sua cintura e procure inspirar pelo nariz, empurrando a mão para fora. Na hora de soltar o ar, contraia como se quisesse encostar uma mão na outra. "Essa respiração é um ótimo trabalho de todo o sistema cardiovascular e respiratório", afirma Marcelo Cavalheiro. 

Postura perfeita

Dor nas costas causada pela má postura é um problema que dificilmente perturba bailarinos. "O balé clássico trabalha os principais grupos musculares responsáveis pela manutenção da postura, que são a musculatura abdominal, peitoral e das costas", afirma a professora de balé Mariana Bastos, coordenadora pedagógica do Ballet Paula Castro, de São Paulo. "Os alunos são estimulados a manter a postura correta, com abdômen contraído, quadril 'encaixado' e coluna alinhada." O ortopedista Marcelo também explica que esse alinhamento de todo o corpo faz com que garante um ótimo equilíbrio corporal. "O aluno consegue realizar as atividades do dia a dia com movimentos mais precisos, articulações protegidas e menor gasto de energia", afirma. 

Músculos trabalhados

Engana-se quem acredita na aparência frágil dos bailarinos. "O balé promove hipertrofia, ou seja, aumenta e fortalece os músculos tanto quanto a musculação", afirma o ortopedista Marcelo. Além de toda a musculatura responsável pela postura, Mariana Bastos afirma que a técnica estimula tantos os membros inferiores quanto superiores, por conta de exercícios de salto, sustentação em determinadas posições e força nos braços para carregar as bailarinas (nos casos dos homens). 

Barriga chapada

Bailarino com barriga saliente é algo raro de ser ver. Primeiro porque a postura correta é cobrada o tempo todo nas aulas, o que inclui encolher a barriga. Segundo, porque é uma atividade física como qualquer outra que proporciona queima de calorias. Para conseguir bons resultados, no entanto, é preciso fazer aulas regularmente, de duas a três vezes por semana, no mínimo. 

Flexibilidade

Segundo o ortopedista Marcelo, não adianta ser apenas forte ou ter músculos elásticos, é preciso ter equilíbrio muscular. "Nesse ponto, o balé pode ser melhor até que a musculação de academia, porque alonga e trabalha os músculos ao mesmo tempo", afirma. Como resultado, os grupos musculares não ficam encurtados e há menor risco de lesões. "A flexibilidade é trabalhada em todos os exercícios de balé porque os movimentos precisam ser realizados com grande amplitude", afirma a professora de balé Mariana. 

Bem-estar e percepção corporal

Por ser ao mesmo tempo uma atividade prazerosa - os movimentos acontecem de acordo com o compasso da música - e um exercício físico que libera endorfina, uma substância responsável pelo prazer, o balé proporciona muito bem-estar. "A técnica também ajuda a melhorar a autoestima e a percepção corporal, pois é preciso ter consciência de todas as partes do corpo para realizar os exercícios", afirma Mariana Bastos. 

Agilidade e coordenação motora

Conforme o aluno consegue aprender e executar os exercícios básicos de balé, os passos vão ficando mais difíceis. "A complexidade dos movimentos aumenta em cada estágio, exigindo cada vez mais agilidade e coordenação motora", comenta a professora de balé Mariana. Também é preciso dominar bem a técnica porque, por mais que os exercícios sejam difíceis de executar, o bailarino precisa realizar cada movimento de forma leve e sutil, sem mostrar o esforço que está fazendo. "A ideia que se transmite ao público é de uma arte delicada e elegante", lembra Mariana.



A questão do peso

Outro dia, indo para a aula de ballet, lá estava eu na lotação sentada ao lado da janela. Enquanto pensava na vida, ouvi duas meninas conversando lá no fundo. De repente, ouço isso: “Ah, mas fulana faz ballet? Imagina, para ser bailarina é preciso ser muito magra!” E seguiu-se uma série de análises sobre o fato da menina em pauta fazer ou não ballet.

A discussão aqui não é sobre bailarinas profissionais. Para começar, eu tenho 1,48m de altura. No máximo, seria uma cisne recém-nascida em O lago dos cisnes. Eu estou brincado para dizer o seguinte: cada coisa no seu lugar.
Cena do filme Fantasia, da Disney. Aqui é uma sátira ao ballet clássico.

Devemos nos preocupar com o peso por uma questão de saúde. Acho um absurdo essa neura de sermos magras demais, coisa que percorre todos os meios possíveis. Viver de regime é vida? Não é.

Mesmo quem nunca se preocupou com isso, começa a se questionar depois que começa a fazer ballet. A questão “Você engordou” ou “Você emagreceu” é proferida sempre. Eu já ouvi tantas vezes que perdi a conta.
Cena do filme Fantasia, da Disney. Aqui é uma sátira ao ballet clássico.

Parece que não, mas há uma linha tênue aí. A frase “Estou gorda” vira imperativo. Gente, sinto muito, não sou a primeira bailarina do Bolshoi. Estou feliz com a variação do meu peso entre 47kg e 48kg. Eu estava mais cheinha, nos últimos oito meses eu emagreci 7kg graças ao ballet. Consequência da dedicação, não deixei de comer nada. Não me puni pelo corpo que eu tenho.

Sejamos bailarinas felizes da maneira que somos. Cada qual com o corpo que tem. Também não deixe que ninguém, tampouco a professora, questione isso. A vida já tem problemas demais para eu me preocupar com o que meu collant quer mostrar ou esconder.
NOTA: Confesso que não sou obesa.. mas tenho um sobrepeso clandestino.. então.. bora fazer ballet!!!! bjs Jacieli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...